Os textos indianos sobre pedras em geral (preciosas ou não) mencionam 84 tipos de pedras. Nove delas - conhecidas como nav-ratnas - Algumas revelam  valor medicinal e são usadas pelos astrólogos, gemoterapeutas, tantristas e curandeiros da tradição ayurvédica. 

 O âmbar não é  uma pedra e sim uma resina fóssil. Utilizada pelos santos na Índia por acreditarem que o âmbar impede que se desequilibrem, o que se justifica por sua propriedade magnética que atua sobre o campo eletromagnético do corpo e habilita a pessoa que o estiver usando a alcançar um maior autocontrole e uma saúde física melhor. Possui um aroma muito saudável para o corpo e agradável para a mente, que é extraído e transformado em perfumes caros; exala seu odor delicado e adocicado ao ser friccionado num tecido. Em sua forma bruta, é usado como um tônico especial em medicamento e muitos afrodisíacos. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A ágata é por vezes transparente, se bem que,  em geral, translúcida, cujo o emprego nos rosários e colares é bastante popular entre os santos sufis e os sadhus hindus na Índia e na Pérsia. Supõe-se que a ágata propicie a calma e traga boa sorte. Sendo membro da família do quartzo, está associada ao planeta Lua, além de possuir propriedades magnéticas que auxiliam no campo magnético do corpo, eliminando a ansiedade, absorvendo o excesso de calor do corpo e transmitindo calma. Em sua forma bruta, é muito popular entre os médicos ayurvédicos, sendo empregada em inúmeros medicamentos.

 A ametista é uma pedra semipreciosa muito apreciada pelos gemoterapeutas e astrólogos, recomendada durante a fase (período principal e subperíodo) de Saturno por causa da sua cor roxa - oriunda de traços de ferro e manganês. Quanto ao mais, ela deve ser associada à Lua, por ser membro da família do quartzo. Quando um cristal de ametista é cortado num determinado ângulo com relação ao seu eixo, a pressão exercida sobre ele gera uma carga elétrica diminuta e transmite ondas curtas de luz ultravioleta que atuam sobre a pele, ajudando o corpo ao produzir o equilíbrio eletroquímico, estabelecendo o bom entendimento, realçando a faculdade do discernimento e induzindo o desapego às coisas mundanas, o que auxilia o indivíduo a manter o sangue-frio, evitar erros e a conquistar a autodisciplina e os padrões de vida elevados. Ajuda ainda na obtenção da estabilidade mental, elimina o medo e a ansiedade transmitindo ondas de luz e absorvendo o calor excessivo do corpo.

 

 A água-marinha é uma variedade verde-mar clara (verde-azulada) do berilo transparente - dura e transparente, pertencente à família da esmeralda, contendo os mesmos minerais que se convertem na esmeralda quando possuem a intensa cor verde semelhante à de uma folha nova de grama. Como a esmeralda, a água-marinha também está associada ao planeta Mercúrio, conferindo segurança aos marinheiros. Ela também é calmante para o coração, agradável aos olhos, além de ser útil na manutenção do equilíbrio eletroquímico. Em virtude da sua propriedade elétrica, é benéfica para o campo eletromagnético do corpo sendo usada pelos gemólogos, gemoterapeutas e astrólogos indianos. Ela ajuda ainda a superar a ansiedade e a inquietude típica do temperamento mercuriano das pessoas com Mercúrio mal posicionado. É especialmente calmante quando usada como colar, braçadeira, ou pingente. Desenvolvendo, ainda, as qualidades femininas nas mulheres.

 

 

 A cornalina faz parte da família criptocristalina do quartzo. É uma variedade colorida de jaspe de boa qualidade, encontrada no tom marrom-claro, ocre e vermelho alaranjado. A cornalina vermelha é usada em ornamentos, as variedades amarelada e amarronzada são chamadas de sardônica. Revela propriedades elétricas, que conferem uma qualidade curativa, paciência e autoconfiança, além de eliminar a influência maléfica do mau-olhado. Podem-se ver às vezes espécimes muito bonitos e brilhantes engastados em objetos decorativos e anéis. 

 O citrino é uma variedade de quartzo cristalino que pertence à família da ametista, cuja composição química é igual, diferindo na cor por conta da do citrino ser causada pela presença de ferro, ao passo que a da ametista deriva da presença do Manganês. É transparente brilhante, sendo usado como substituto da Safira amarela, a pedra preciosa do planeta Júpiter, pelo gemoterapeutas e pelos astrônomos indiano. À semelhança da ametista, o citrino também é útil ao corpo. Em virtude de suas propriedades elétricas, pode ajudar o campo eletromagnético do corpo quando usado em um colar ou num anel. Proporciona um sono tranquilo e elimina os temores noturnos.

 

 

   As granadas são mais populares como pedras preciosas do que como minerais formadores de rocha. Pertencem a família restrita de silicatos minerais que revela muitas características em comum; e um grande número de pedras fazem parte do grupo. A granada é usada como pedra preciosa em anéis, colares, pingentes e em outros tipos de joias, interrompem o sangramento e cura as doenças causadas pela formação de pedras no corpo, estimulam o vigor e a vitalidade, além de agirem como estimulante sexual. Seis variedades de granada são incluídas na categoria de pedra preciosa. Todos possuem composição química diferente, mas pertencem ao grupo de silicato de minerais:

1. Almandita: também conhecida como carbúnculo, é a granada normalmente encontrada em muitas rochas metamórficas, basicamente composta de ferro e alumínio. Sempre que parte do ferro é substituída por magnésio, a pedra fica vermelha, como o piropo. Um espécime claro, transparente brilhante dessa mistura tornasse uma granada preciosa quando lapidada como pedra preciosa. A variedade violeta pálida é conhecida como rodolita.

2. Andradita: É formada basicamente de cálcio e ferro. Também é bastante comum como a almandita. Quando amarela ou verde, é chamada de topazolita; quando vermelha, é conhecida como andradita; quando preta, metanita; quando verde, demantóide, uma granada de excelente qualidade.

3. Glossulária: É uma granada que contém cálcio e alumínio, normalmente incolor ou branca, mas que se torna colorida quando apresenta ferro como impureza. Este último faz com que ela assuma diversos tons de amarelo, cor de canela, vermelho-rosado e verde. Seu nome resulta da semelhança de sua cor com a variedade siberiana “verde-groselha” da granada glossulária.

4. Piropo: conhecido como uma granada preciosa, extraído em grande quantidade para ocupar o lugar da granada. Os melhores espécimes, claros perfeitos, são encontrados no kimberlito da África do Sul junto com os diamantes. É uma granada formada por magnésio e alumínio com traços de impurezas de cálcio e ferro. É de um vermelho carregado, que parece preto a distância.

5. Espessarita: É um membro bastante raro do grupo de granadas de alumínio. Contém magnésio e alumínio, o que lhe dá um matiz violeta que a torna valiosa, conferindo-lhe quantidade qualidade de gema.

6. Uvarovita: É uma variedade menos comum de granada encontrada na pedra serpentina e na rocha calcária associada ao minério de cromo. Sua intensa coloração verde se deve a presença desse metal, o que a torna uma granada bastante valiosa.

15. O gauri é uma variedade de ágata, calcedônia semipreciosa. Encontrada em diversas cores e possui faixa de coloração leitosa; é empregado na fabricação de de grais e pilões. Por ser relativamente dura, os joalheiros usam-na para medir o peso.

16. A opala de fogo, também chamada de opala de ouro, pode ser marrom avermelhada, laranja-avermelhada ou marrom-ocre, com manchas douradas que reluz em como ouro. É uma pedra muito fraca e mole, usada em anéis e pingentes. 

17. O prásio, também conhecido como pedra do bambu, é uma pedra mole da cor do bambu, opaca e translúcida. Quando polido, fica liso e brilhante, as formas ovais podem ser usadas para absorver calor, curando temporariamente ansiedade.

18. O jade da Índia é uma pedra verde ou azul, onde alguns espécimes são opacos e outros translúcidos. É usada como uma pedra preciosa de Mercúrio; as pessoas que não tem dinheiro para comprar colares de esmeralda usam colares de jade da Índia para cair nas boas graças de Mercúrio. 

19. O jade é o nome dado a um grupo de minerais opacos, cerosos ou perolados. Em geral é verdade, mas também existe o jade em tons amarelos, brancos e rosados. Claro, translúcido, o jade verde-esmeralda é considerado uma pedra preciosa. Sendo membro da família quartzo, é útil para o corpo, possuindo importância terapêutica. Acredita-se que, do mesmo modo que a pedra do rim, ajuda a curar os males do rim. Atribui-se ao jade muitas propriedades. Acredita-se que seja um medicamento para todos os tipos de distúrbios internos. Segundo os chineses, é a pedra mais preciosa. Eles acreditam que ela impeça a fadiga, prolongue a vida, além de evitar a decomposição do corpo depois da morte.

20. O kansla,  uma variedade da turmalina, é encontrado num tom branco-esverdeado e enevoado, embora também existam espécimes azuis e verdes. É duro, resistente e transparente, bom para escultura em pedra e para elaboração de ídolos de divindades. Quando aquecida, a turmalina manifesta uma carga elétrica.

21. A pedra-imã ou magnetita é o minério de ferro magnético, um ímã natural. Ela é opaca, fosca, vermelho-carregado ou preta. É fortemente magnética, com grande importância terapêutica. 

22. O lápis-lazúli pertence à família do quartzo. É um mineral rochoso rico em lazurita, completamente opaco, com um brilho ceroso que se intensifica quando a pedra é polida. Sua cor é semelhante a do pescoço do pavão - com manchas douradas, conhecidas como “moscas douradas”, que reduzem com força e são claramente visíveis. O brilho metálico amarelo-dourado é causada pela presença de piritas de ferro. Desde antiguidade, o lápis-lazúli é famoso pelo seu valor ornamental. É provavelmente a pedra mais antiga da Índia, sendo bastante conhecido por sua extração sistemática no vale Oxus do Afeganistão a cerca de sete mil anos atrás. É usado tanto pelos gemoterapeutas como pelos astrólogos indianos para substituir a safira azul - a pedra preciosa do planeta saturno, além de ser usado pelos médicos ayurvédicos no preparo de medicamentos. Esta pedra possui elevado valor terapêutico. Também é empregado na fabricação de um remédio especial para os olhos, o surma.

23. A malaquita, também conhecida como pedra do rim, pertence à família do quartzo. A pedra é verde-acinzentada, algumas vezes transparente e brilhante, apresentando uma faixa de luz que se desloca quando a pedra muda de posição. Os espécimes compactos e fortemente coloridos são lapidados para serem usados como jóias ou ornamentos. Os joalheiros da Índia prescrevem um teste para que se descubra a essência da malaquita: esfregue na malaquita a lâmina de uma faca embebida em suco de limão. A lâmina fica cor de cobre se a essência for cobre; branca, se a essência for prata; e amarela se a essência for ouro. A variedade cuja essência é ouro é muito rara. Ela é indicada pelos gemoterapeutas, pelos médicos ayurvédicos e pelos astrólogos indianos aos clientes que sofrem de pedras nos rins e outros distúrbios desse órgão. É usada tanto oralmente – na forma de uma pasta fina – como externamente. Quando usada num colar ou anel, alivia as dores no rim, atuando através do campo eletromagnético do corpo. 

24. A pedra-da-lua é uma albita, com iridescência azulada, que possui uma gravidade especifica um tanto baixa. Influência o campo magnético do corpo possuindo elevado valor terapêutico. É uma pedra barata e bastante popular na fabricação de jóias. É muito usado pelos gemoterapeutas para fornecer energia lunar, curar a ansiedade e fortalecer a vontade. É usado pelos astrólogos indianos para captar a simpatia da Lua. 

25. A ágata musgosa é uma pedra maravilhosa encontrada na cabeceira dos rios, trazendo imagens do amanhecer, do pôr-do-sol, de pássaros, animais e árvores, que não podem ser vistas antes de a pedra ser cortada, as quando o corte é feito em camadas, as lâminas mostram claramente as gravuras. Essas imagens não são simplesmente inclusões de alguns minerais ou impurezas, e nem tampouco fósseis - são formadas pelos reflexos quando a substância está se formando. Pertence à família da calcedônia e é encontrada em muitas tonalidades que vão do amarelo ao marrom. é agradável não apenas observá-la, como também toca-lá.

26. O ônix, um quartzo criptocristalino, é a ágata com faixas iguais e paralelas. É normalmente encontrado na tonalidade preta e branca ou marrom e branca, sendo liso, ceroso e translúcido. À semelhança da ágata, acredita-se que ele traga bons sentimentos, boa saúde e boa sorte. Foi uma das primeiras pedras conhecidas no Ocidente, a primeira referência é encontrada no Gênesis, ela era uma das doze pedras que os sumos sacerdotes usavam no peitoral. Deus pediu à Moisés que fizesse uma oferenda de ônix, diz-se que Davi colecionava a pedra para colocar em seu templo junto com outras preciosas. 

27. A opala é uma forma não cristalina do quartzo, em geral incolor branco-leitosa, ou varia de amarelo-esverdeado à vermelho-tijolo. Existe um fantástico jogo de cores na opala devido às inclusões de materiais com índice de refração diferente do da substância original. A luz é refratada nas camadas internas e fissuras da opala. A opala possui um brilho  oleoso e vítreo, sendo perolada e resinosa por conseguinte translúcida. São encontradas, ainda, opalas opacas; essas últimas algumas vezes são luminescentes quando submersas em água, podendo também apresentar opalescência (especialmente quando estão molhadas). Elas não revelam muitas propriedades medicinais, não tendo ainda se tornado uma pedra favorita entre os gemoterapeutas, embora seja conhecida por conferir uma inclinação espiritual e fé em Deus a quem as usam. As principais variedades de opala recebem diferentes nomes, de acordo com sua cor:

1. Opala comum: esta pedra é principalmente translúcida ou opaca, sendo encontrada em diversas tonalidades. Quando é branco-leitosa, amarelada, azulada, ou esverdeada com um jogo de cores, é chamada de opala leitosa. A madeira petrificada com um revestimento opalino é chamada de opala madeira. A opala vermelha, marrom ou marrom-amarelada, é chamada de opala jaspe.

2. Opala de fogo: a opala semitransparente ou transparente de coloração amarelo-laranja ou vermelho-flamejante com um jogo de cores é denominada opala de fogo. Só esta pode receber uma lapidação brilhante.

3. Opalas nobres: são encontradas em cores claras, cinza-escuro, azul e preto, com diversas denominação.  A variedade clara é chamada de opala branca, e as escuras recebem o nome de opala pretas. Ambas as variedades possuem excelente jogo de cores.